top of page
focosmais-header-blog.png

Assine nossa newsletter!

Pronto, você está cadastrado(a) na nossa Newsletter

O que é DRE e qual a sua importância?



Artigo produzido por Jessica Santos Silva.

Você sabe para que serve a DRE: Demonstração do Resultado do Exercício?

Então, continua aqui que abordaremos tudo sobre este documento contábil que é tão importante e necessário às empresas.


O que é a DRE?

A DRE é um relatório muito importante tanto para parte gerencial como para contábil, no qual demonstrará como está sendo formado o resultado líquido do exercício da empresa, através do comparativo das receitas e despesas, para avaliar se aquele determinado período teve lucro ou prejuízo.


A DRE é considerada como um relatório obrigatório, que deve ser assinado por um contador.

O relatório, segundo a legislação, deve ser feito uma vez por ano, porém isso não impede que as empresas façam o acompanhamento mensal deste relatório, para ter um melhor controle gerencial.


Para que serve a DRE?

Esse demonstrativo é o detalhamento operacional da empresa, seu uso, pode facilitar o entendimento dos gestores quanto a saúde financeira, auxiliar para tomada de decisões, para redução de gastos ou até mesmo alavancar seu negócio.


Não tem um modelo específico da DRE, mas, na legislação, tem alguns pontos que determinam diretrizes que devem constar no demonstrativo.

De acordo com o artigo 187 da Lei nº 6.404/1976 (Lei das S.As) e sua modificação pela Lei 11.638/2007, dispõe que na DRE deve constar:


I - A receita bruta das vendas e serviços, as deduções das vendas, os abatimentos e os

impostos;

II - A receita líquida das vendas e serviços, o custo das mercadorias e serviços vendidos e

o lucro bruto;

III - As despesas com as vendas, as despesas financeiras, deduzidas das receitas, as

despesas gerais e administrativas, e outras despesas operacionais;

IV - O lucro ou prejuízo operacional, as outras receitas e as outras despesas;

V -O resultado do exercício antes do Imposto sobre a Renda e a provisão para o imposto;

VI - As participações de debêntures, empregados, administradores e partes beneficiárias,

mesmo na forma de instrumentos financeiros, e de instituições ou fundos de assistência

ou previdência de empregados, que não se caracterizem como despesa;

VII - O lucro ou prejuízo líquido do exercício e o seu montante por ação do capital social.


É importante ressaltar que na determinação do resultado do exercício serão computados:

a) as receitas e os rendimentos ganhos no período, independentemente da sua

realização em moeda; e

b) os custos, despesas, encargos e perdas, pagos ou incorridos, correspondentes a essas

receitas e rendimentos.



Estrutura de uma DRE:

Agora veremos uma das possibilidades de estrutura de uma Demonstração do Resultado do Exercício (DRE):

  • Receita Bruta

  • (-) Deduções e abatimentos da receita

  • (=) Receita Operacional Líquida

  • (-) CPV (Custo de produtos vendidos) ou CMV (Custos de mercadorias vendidas)

  • (=) Lucro Operacional Bruto

  • (-) Despesas com Vendas

  • (-) Despesas Administrativas

  • (-) Despesas Financeiras

  • (=) Resultado antes do imposto de renda e contribuição social sobre lucro líquido

  • (-) Provisões imposto de renda e contribuição social sobre lucro líquido

  • (=) Lucro/Prejuízo Líquido.


Faremos o detalhamento sobre cada ponto da estrutura da DRE vista anteriormente:

  1. Receita – Toda entrada de dinheiro no patrimônio ou no caixa da empresa, podendo ser proveniente da prestação de serviço, receita de vendas de produtos, recebimento de juros, royalties, dividendos, aluguéis e entre outros;

  2. Deduções e abatimentos – Aqui deverá constar os descontos de deduções sobre vendas como ICMS E ISS;

  3. Receita operacional líquida – Será o resultado da receita de vendas menos as deduções e abatimentos;

  4. CPV (Custo de produtos vendidos) ou CMV (Custos de mercadorias vendidas) – São todos os gastos relacionados à produção, ou seja, que mantém a empresa em operação. Podendo ser custos relacionados a embalagens, utensílios, matéria prima e entre outros;

  5. Lucro operacional bruto – Para chegar no lucro bruto basta pegar a receita líquida e abater dos custos de produção;

  6. Despesas com vendas – Será todos os custos com vendas e comissões;

  7. Despesas administrativas – Todos os gastos para manter a empresa em operação, ou seja, este ponto é independente de ter vendas ou não, como, por exemplo água, energia, aluguel, internet, manutenção e entre outros;

  8. Despesas financeiras – São os juros e multas;

  9. Resultado antes do imposto de renda e contribuição social sobre lucro líquido – É o resultado do lucro bruto menos as despesas citadas anteriormente;

  10. Provisões imposto de renda e contribuição social sobre lucro líquido – Serão as provisões dos impostos IRPJ e CSLL que são calculados sobre do faturamento;

  11. Lucro/Prejuízo líquido – Será o resultado líquido abatido do IRPJ e CSLL sobre o faturamento, resultando em um prejuízo ou lucro do período.


Através da DRE é possível analisar a saúde financeira do negócio, podendo assim, tomar as melhores decisões para o seu negócio. É importante contar com a ajuda de um bom contador para realizar de forma correta este demonstrativo, fazendo com que fique o mais próximo possível da realidade da empresa.


Nos siga para mais conteúdo e não se esqueça de clicar no coraçãozinho e compartilhar.


Alguns tópicos que também podem ser de seu interesse:




Nos acompanhe também nas mídias sociais:



110 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Commentaires


categorias:

recentes:

notícias:

dúvidas?

bottom of page